Zona de Poesia Árida

por Museu de Arte do Rio – MAR

Zona de Poesia Árida apresenta o conjunto de mais de 55 trabalhos de coletivos de arte e ativismo de São Paulo que, no MAR, constituem o Fundo Criatividade Coletiva/Doação Funarte, formado por meio da 6a edição do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça, iniciativa de grande importância no campo das políticas públicas da cultura deste país.

A coleção evidencia o processo de adensamento curatorial que sublinha a condição do MAR demuseu de processos: o Fundo Criatividade Coletiva é um fundamental desdobramento da presença de diversos coletivos e grupos de São Paulo na exposição inauguralO Abrigo e o Terreno, que debateu o direito à cidade e à habitação, alémdas relações entre público e privado. A produção de artistas, ativistas e integrantes de movimentos sociais é inflexão na história da arte brasileira que demanda ser pensada criticamente. Colecionar, exibir e refletir sobre essa produçãofaz-se necessário para que suas prementes questões – sociais, estéticas, políticas, econômicas – encontrem ressonância,ampliando seu público e o alcance histórico de suas lutas.

 

Mais adiante, a incorporação desse conjunto à Coleção MAR dá as bases para a discussão em torno dos processos de publicização e institucionalização da arte – e, de modo geral, das práticas de criação e resistência da sociedade –, debate essencial que exige das instituições uma renovada capacidade de autocrítica. Assim, a pauta da crítica institucional dá mais um importante passo no museu, posta que está desde O Abrigo e o Terreno e avançando por entre exposições como Turvações Estratigráficas – Yuri Firmeza, Eu Como Você – Grupo EmpreZaou o recente Museu do Homem do Nordeste.

 

Se, como demonstra Zona de Poesia Árida, os anos 2000 instauraram novas práticas, entrecruzando estratégias da arte e do ativismo de modo especialmente intenso, é, enfim, com o desejo de reverberar essa potência de questionamento e invenção que se consolida o Fundo Criatividade Coletiva. Afinal, o Museu de Arte do Rio, como instituição que surge no século XXI –, encarando os desafios colocados pelo atual contexto sociopolítico da cultura, compreende que é parte de suas responsabilidades a contínua ativação desse campo de investigações.

Museu de Arte do Rio – MAR

***********************************************************************************************

Arid Poetry Zone presents the set of more than 55 works by São Paulo art and activism collectives  which make up the Collective Creativity Fund/ Funarte at MAR, formed by means ofthe 6th edition of the MarcantonioVilaçaPlastic Arts Award, an initiative of great importance in the field of cultural public politics in this country.

 

The collection shows the process of curatorial consolidation that highlights the condition of MAR as a museum of processes: The Collective Creativity Fundis a fundamental breakdown of the presence of several collectives and groups from São Paulo in the inaugural exhibition The Shelter and the Land, which debated the right to the city and to housing, as well as the relationship between public and private. The production of artists, activists and members of social movements is a point of inflection on Brazilian art history, which demands to be thought of critically. It becomes necessary to collect, to exhibit and to reflect upon this production, so that its pressing issues – social, aesthetical, political, economic – encounter resonance, increasing its public and the historical significance of its struggles.

 

Furthermore, the incorporation of this setinto the MAR Collection forms the bases for discussion around the processes of publicisation and institutionalisation of art – and, in a general sense, of the practices of creation and resistance of society – a key debate which requires a renewed capacity of self-criticismfrom institutions. As such, the agenda of institutional critique is yet another important step forthe museum, one that has been applied sinceThe Shelter and the Land and advancing through exhibitions likeStratigraphicTurbidities – Yuri Firmeza, Eu Como Você – Grupo EmpreZaor more recently Museum of the Man of the Northeast.

 

If, asArid Poetry Zonedemonstrates, the 2000s established new practices, crisscrossing strategies of art and an especially intense form of activism, it is,in the end, with a desire to reverberate this potential of confrontationand invention that the Collective Creativity Fundbecomes consolidated. After all, the Museu de Arte do Rio, as an institution that appeared in the 21st century andthat faces the challenges posed by the current cultural socio-political context, understands that the continued activation of this field of investigations is part of its responsibilities.

 

Museu de Arte do Rio –  MAR

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.