Texto Curadores

Existe nos trabalhos de Zona de Poesia Árida a capacidade de espalhamento que é inerente ao campo da produção cultural coletiva. Há obras que, mesmo tendo sido produzidas no início do século, são cada vez mais atuais e se afirmam como referência nos campos da arte e do ativismo, a exemplo da sequência de bandeiras da Frente 3 de Fevereiro e seu questionamento sobre o racismo no futebol; ou ainda o Monumento à catraca invisível, do coletivo Contrafilé, em que o símbolo catraca – e sua tácita “descatracalização” – tem sido atualizado como um marco de luta.

São obras de uma geração que viveu e criou junto uma trajetória, um repertório, um conjunto singular de ações numa das maiores metrópoles do mundo. Uma geração que esgarçou o espaço institucional até a vida pública, cruzando e sendo atravessada por movimentos sociais diversos.

 

Reúnem-se não apenas os trabalhos mais relevantes de parte dessa geração de coletivos artísticos paulistanos do início do século XXI, constrói-se também uma Zona de Poesia Árida, que tem como topografia a cidade e suas fendas.

 

Daniel Lima e Tulio Tavares, curadores

*

Arid Poetry Zone

 

In the works of Arid Poetry Zone, there is the abilityof spreadingthat is inherent to the field of collective cultural production. There are works that, despite having been produced at the beginning of the century, become more and more relevant and assert themselves as a reference in the fields of art and of activism. The sequence of banners by Frente 3 de Fevereiro and their questioning of racism in football, for example; or even theMonument to the Invisible Turnstile, by the Contrafilé collective, in which the symbol of the turnstile– and its tacit “disturnstilation” – has been upgraded to a landmark of resistance.

 

These are worksby a generation that lived and created a trajectory together, a repertoire, a singular group of actions in one of the biggest metropolises in the world. A generation that tore upinstitutional space right upto public life, crossing and being crossed by various social movements.

 

It is notjust the most relevant works of part of this generation of São Paulo artcollectives from the start of the 21st century that are brought together. AnArid Poetry Zoneis also constructed, which has the city and its cracks as its topography.

 

Daniel Lima and Tulio Tavares, curators

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.