O abrigo X o terreno uma sala de projeção desligada com dois colchões no chão

por Graziela Kunsch

trechos de emails enviados em resposta à amiga Cristina Ribas:

“(…) espero responder com o próprio trabalho. Participo da exposição com a Usina, com um trabalho chamado Sem título (Imagem de cidade vendida pelo mercado imobiliário X Imagem de cidade real ou Nova Luz mas poderia ser Porto Maravilha), que considero bem apropriado (crítico) ao contexto do MAR e que irá incluir debates públicos (dentro e fora do museu) sobre Porto Maravilha, Nova Luz, Aquário de Fortaleza e Novo Recife, entre outras operações urbanas similares.

 

Participo da exposição também com o Projeto Mutirão, incluindo vídeos que fiz no Morro da Providência (do pessoal marcando e medindo casas a serem demolidas) e de rebatismo da Av. Roberto Marinho, e atividades ao longo dos seis meses de exposição junto às comunidades e escolas do entorno do museu e a funcionários do museu. A salinha que irá projetar excertos do Projeto Mutirão irá funcionar somente às terças, que é o dia de visitação gratuita, permanecendo a sala desligada em todos os outros dias.

 

Convites como esse do MAR não são aceitos por mim ou pela Usina sem reflexão crítica e sem pensar qual pode ser o nosso papel ali, ainda que essa atuação não supere as tensões e contradições implicadas na aceitação”.

 

 

 

 

Foto: Alexandre R. Pereira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.