Pássaros

por Flavia Vivaqua

Na casa do Roberto em Liberdade/MG. Roberto diz que retirou o pássaro da boca do gavião e cuida dele desde então. Ele aprendeu desde criança a cuidar de seus animais de estimação. Cria larvas para dar de come-las vivas ao pássaro.

O que comecou a me chamar atencao e ate mesmo me incomodar, era que na casa dos nativos, em meio a Floresta, sempre havia uma ou mais gaiolas com passaros aprisionados. Alguns inclusive deixavem de cantar. Simplesmente eu nao conseguia entender porque. Comecei a fazer visitas, conversar, registrar. Essas fotos sao parte de uma dessas visitas.

Em quase todas as situacoes, eram “costume antigo”, aprendidos com os pais, atos ditos naturais. Conversando mais um pouco, havia orgulho no ato de aprisionar o passaro, como a manifestacao de poder e conquista. Mas as historias incriveis sobre porque ou como os passaros tornavam-se prisioneiros e que me intrigava. Quase sempre os passaros haviam sido salvos da morte! Entao compreendi:

tirar o passaro da boca do gavião

é como não aceitar a morte,

os ciclos profundos da natureza.

***
Passaros, Poder e Propriedade – o rompimento do religare com os ciclos da natureza, é um projeto em andamento, que levanta imagens e historias de passaros silvestres aprisionados na mata nativa ao redor das casas ondem vivem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.