por Peetssa

São Paulo, 18 de março de 2011. 17:43h, horário de RUSH. Chove lá fora acidamente… O trânsito pára e o medo cresce dentro de cada cidadão exposto à insalubridade da vida urbana. Apenas 18 milhões de habitantes. Aproximadamente 11 milhões de automóveis enfileram-se em constante combustão de petróleo. O ar já é intragável.

Na era do “tera” consumismo onde procuramos cada vez mais e mais rápido outros motivos e necessidades para produzir mais e mais rápido, começa a contagem regressiva dos nossos estoques de recursos naturais não renováveis.
Cidades inteiras são construídas a base de ferro, calcário, areia e brita. O mundo inteiro está conectado sob a rede de computadores, milhões deles, incontáveis. Quanto tempo suportarão as jazidas de silício, principal matéria prima para a produção de eletrônicos, nesta velocidade de produção e desprezo? Quantos computadores são desprezados todos os dias nas megalópolis em todo o mundo? A produção de lixo tecnológico global é imensurável.
Continentes inteiros funcionam a base de hidrelétricas, termelétricas, reatores nucleares… As hidrelétricas causam um gigantesco impacto ambiental devido ao represamento da água de um rio resultando em alagamento, mudança climática local, alteração em temperatura e PH da água impossibitando a vida aquática e consequentemente toda a vida que depende dela, liberação de gás carbônico e metano gerado pela decomposição anaeróbica (submersa) das florestas alagadas e suprimidas, a própria supressão de extensas áreas de floresta muitas vezes primárias que contém inúmeras espécies endêmicas tanto na fauna quanto na flora e muitas vezes causa também a expulsão e realocamento de comunidades que tradicionalmente habitavam as margens de tal rio.
As termelétricas utilizam na maioria das vezes combustível fóssil como o óleo diesel ou até mesmo carvão vegetal ou mineral, resultando na emissão de toneladas de gases tóxicos à atmosfera diariamente. As usinas nucleares são similares as termelétricas mas dependem de minerais radioativos que desde sua extracão até o beneficiamento, utilização e desprezo, oferecem grande risco a saúde geral e ampla do ambiente.

Acredito sermos muito mais inteligentes que isso.